Cinema

“Vinícius, Vinícius” – Um filme de Fran Mattoso


“Vinícius, vinícius” foi um processo longo. Difícil até para nós como criadores e observadores da situação dele. E isso é uma reflexão sobre nós como artistas, como seres humanos e realizadores. Vinicius é primo da Fran Mattoso, diretora e idealizadora do projeto. Lá em 2013, enquanto fazia um curso de audiovisual, parte das aulas era escolher um tema e gravar imagens relacionado a esse tema.

O módulo seguinte seria para editar o material, entretanto, esse módulo nunca aconteceu. Mas acreditávamos nas imagens que havíamos captado. Acreditávamos na força do Vinícius. E gostaríamos de retratá-lo de uma maneira honrosa e válida, que fosse reflexiva. Que tivesse a força dele que tenta, diariamente, se comunicar com o mundo à sua volta.

O projeto é pequeno. É um curta metragem, com uma equipe reduzida e sobrecarga de funções, mas com o sentimento de realização pulsando em cada um. Em termos de captação, tínhamos apenas uma regra: Seguir Vinícius no que quer que ele fizesse. Com isso, tínhamos pouco tempo para pensar enquadramentos, organizar as ideias ou afinar a luz para um melhor resultado visual. Vinícius é uma força da natureza, imprevisível e inquieto, por isso, para acompanha-lo, precisávamos ser iguais. Mas esse imediatismo tornou o material ainda mais forte; Escolher entre quais planos utilizar na edição virou um processo doloroso!

Levou tempo. Tivemos que abandonar a edição algumas vezes ao longo dos anos. Fazíamos algo, mas percebíamos que faltava alma, força. Ou faltava veracidade. Ou faltava emoção. Ou realismo. Ou que estava superficial. Ou que estava só ruim mesmo. Não conectava e não fazia pensar. Cada novo corte, uma nova tentativa, uma nova frustração. Foi só com o tempo que percebemos que, talvez, seja esse mesmo processo que se passa com ele. Que tenta conversar, mostrar, falar, ser visto, amar… E continua incompreendido e frustrado, mas que JAMAIS DESISTE!

Foi nessa tentativa de olhar o mundo através dos olhos dele, se aprofundando no pouco conhecimento existente acerca do autismo, que novas ideias foram surgindo. Foi o olhar do Vinícius que nos levou por esse caminho. Foi o olhar do Vinícius que nos fez acreditar na importância de contar a história dele. Foi na persistência de Vinícius que encontramos a nossa para concluirmos esse ciclo.

E não poderia ter momento melhor!

“Vinícius, vinícius” é um marco. Não só para nós como pessoa, mas como profissionais do audiovisual. É ele quem dá o pontapé inicial da JEMASTÊ FLMES, como primeiro projeto finalizado e exibido com o selo da produtora. Ele, sem querer, nos dita regras, nos mostra a importância de olhar para cada ser humano e contar as histórias escondidas, os assuntos difíceis, os sentimentos guardados. Sem que nem ele saiba, ele está nos dizendo: Ei, vocês agora têm o poder nas mãos de fazerem a diferença!

Obrigado Vini, por todos os ensinamentos que você nos proporcionou! Seguiremos contanto sua história e aprendendo com você!

Cinema
Wanda
Atualmente não há comentários.